Dia dos namorados: 4 passeios que cabem no bolso

sexta-feira, junho 09, 2017

Namorar é uma delícia, ganhar presentes é maravilhoso  e planejar passeios/viagens/surpresas é sempre um desafio. Sim, desafio, porque nós mulheres (pelo menos eu) sempre quero fazer algo diferente pra agradar o boy e que, de preferência, caiba no bolso. Como eu disse nesse post e nesse vídeo, uma das formas que eu e o Roberto optamos por diminuir nossos gastos foi fazer passeios diferentes e de baixo custo. Pensando nisso, trouxe pra vocês algumas dicas do que fazer no dia dos namorados, que não seja o velho roteiro cinema - jantar - motel.

  • Festa junina nos trilhos

Foto: Internet
Já que junho também é o mês das festas juninas, porque não comemorar o dia dos namorados em uma e ainda por cima dançando forró (se você gosta, claro). Esse mês o Nos Trilhos, espaço de eventos em SP, recebe nos dias 17, 23 e 24 festas juninas, sendo que no primeiro dia tem Bicho de Pé.

Essa é uma opção pra quem quer algo diferente, divertido e ainda poder comer diversas comidinhas. O arraial dos Nos Trilhos não é gratuito, custa R$35 e não sei se esse valor é revertido em consumação. Mas em SP há diversos locais realizando festas juninas com ingressos total free  e de até R$80 (relação completa aqui)

  • Passeio de bicicleta


Ainda na categoria "não tenho muita grana", porque não fazer um passeio guiado de bicicleta por SP e ao final realizar um piquenique?. Pra quem não sabe, em SP existe o Bike Tour SP, um projeto que oferece visitas guiados por alguns pontos da capital de forma gratuita. Eu já fiz o trajeto do Ibirapuera e adorei. Você conhece novas pessoas, conhece a história daquele local e faz um passeio diferente pela cidade. 

"A Gabi, mas é dia dos namorados cadê o romantismo?" Gente, o romantismo (pra mim) está em todo lugar e basta o casal está disposto a fazer daquele momento o mais prazeroso, alegre e divertido. Nesse vlog eu contei como que foi o passeio e no site do Bike Tour tem a relação dos dias, horários e locais. 

  • Passeio dos vinhos


Depois de fazer o passeio da Rota dos Vinhos, eu pensei: Porque eu nunca tinha feito? Gente, pensa em um passeio aonde você conhece várias vinícolas, prova vários vinhos e queijos, conhece pessoas legais e ainda compra vinhos por um preço banaca. Pra quem gosta da bebida e quer algo romântico, esse passeio é uma ótima opção. 

Você pode optar por participar de uma excursão (como eu e o Roberto fizemos) ou ir só o casal. A dica é pegar o mapa da Rota dos Vinhos e ir traçando quais vinícolas quer visitar. Todas que conhecemos têm entrada e degustação gratuita. Algumas, como a Goes oferece visita guiada pelo local de produção e uma degustação de vinhos mais detalhadas. Os preços variam de acordo com o passeio. 

Eu fiz esse post contando como que foi a experiência. Quem mora em SP e quer sair da capital pra fazer algo diferente, vale muito a pena. 

  • Paranapiacaba



Paranapiacaba é um local que vocês devem conhecer e, sempre que possível, voltar. A vila fica no distrito de Santo André, é super pequenininha, todas as casas são coloniais (feitas de madeira) e, pra quem não tem carro, consegue chegar de duas formas: de trem e ônibus, ou pelo Trem Expresso Turístico (funciona aos domingos e sai da estação Luz). Eu já fui pra Paranapiacaba pelas dois jeitos e recomendo, primeiro, fazer o passeio do Trem. A locomotiva é uma graça, aconchegante e os passageiros vão ouvindo a história de cada bairro que vão passando. 

De trem, você tem a opção de comprar só as passagens e conhecer a vila sozinho ou comprar as passagens + o pacote de guia, que já está incluso o almoço e visita no parque. Só para vocês terem uma noção, tem uma passeio de trilha que ao final da pra você ver a cidade de Santos (é o que dizem). Mas conhecer só a vila já vale o passeio. Aqui vocês podem ver a relação de todos os roteiros de Paranapiacaba. 

Mas Gabi e você, qual desses passeios vai fazer? Infelizmente nenhum (o único que não conheço é o Nos Trilhos), porque esse ano eu e o Roberto combinamos de ir pra casa dos pais dele (faz tempo que não vemos eles) e também porque não queremos gastar. Porém, estou pensando em fazer algo mais íntimo, um jantar em casa, uma sessão de cinema diferente, um café da manhã, ainda estou planejando o que será. E, pra mim, o fundamental é a intenção e estar junto com quem a gente a ama.

E as (os) comprometidas (os), já sabem o que vão fazer pra comemorar a data?


Beijos, beijos


Maratonei: 13 reasons why e Las chicas del cable

segunda-feira, junho 05, 2017

Essas últimas semanas foram insanas no quesido séries, maratonei duas: 13 reasons why e Las chicas del cable. Sem esquecer, claro, de colocar em dia a minha queridinha Grey's Anatomy (#dispensacomentários). E como eu adoro compartilhar com vocês o que ando ouvindo e assistindo, hoje o post é em dose dupla.


Comecei a assistir 13 reasons why porque é produzida pela Selena Gomes para o Netflix e também porque já estava ouvindo algumas pessoas falarem dela. No primeiro episódio já fiquei "de cara" com a trama e o bichinho das séries me picou e eu sempre ficava pensando "tenho que terminar de assistir" ou "só mais um episódio". Não vim aqui falar que você (que gosta de séries) tem que assistir 13 reasons (mas #ficaadica), mas sim contar alguns casos pessoais e como - a partir da série - eu me peguei relembrando esses momentos.

Eu nunca fui a garota popular da escola, mas também não ficava sozinha, no canto, na hora do intervalo. Andei com as mais populares, me meti em encrencas junto com elas, falei mal de outros alunos e já cheguei a bater em uma "amiga". Mas também era chamada por apelidos, tinha a turma que não ia com a minha cara e também já me meti em confusão por querer ser algo que não era.


13 reasons why mostra, de alguma forma, um pouco do que eu vivi e também retrata como que muitos adolescentes passam pela fase do ensino médio. É um bicho de sete cabeças? Não. Mas também não é o país das maravilhas. É justamente nessa transição do "sou adolescente" para "agora sou adulto" que muitas pessoas entram em crises internas por não saber para onde vão, quem estará lá na frente com elas e o que os outros (colegas da escola) vão pensar se eu falar ou fazer isso.

Sobre o suicídio, gostei da forma que ele foi retratado, porque sim, esse é um assunto polêmico e que sempre vai haver diversas opiniões sobre. Pra quem não sabe, no jornalismo quando há um caso de suicídio o recomendado é não colocar a causa da morte, porque aquela notícia pode influenciar outras pessoas a tentarem o mesmo ato. Música, fotografia e atuação dos atores, estão de parabéns.


Chicas del cable me conquistou desde o momento que li a sinopse: "Em 1929, quatro mulheres vêm de diferentes partes da Espanha para trabalhar como “garotas do cabo” (operadoras de telefonia) em uma empresa em Madri que vai revolucionar o mundo das telecomunicações. No único lugar que representa progresso e modernidade para as mulheres da época, elas aprendem a lidar com inveja e traição, enquanto embarcam em uma jornada em busca do sucesso" (site Adoro Cinema).

A série me conquistou por ter a mulher como personagem principal e por passar a mensagem de que, nunca devemos desistir daquilo que desejamos. Um exemplo é a personagem Carlota que o seu maior sonho é trabalhar e ser independente, mas o pai não deixa porque "isso iria manchar honra da família" e ela passa por cima dele pra poder conquistar esse sonho. E já Marga, é aquela pessoa que resolveu ir pra cidade grande (mudar para outra cidade para estudar ou a trabalho, é um exemplo atual) conhecer coisas novas e encarrar novos desafios.


 Chicas del Cable te traz a reflexão do que você quer para sua vida a partir de como que a mulher era tratada no ambiente de trabalho e como que ela era vista. Trabalhar, ter o seu dinheiro e poder pagar as suas contas?; Trabalhar ou ficar em casa tomando conta dos filhos?; Continuar por 5/10 anos no mesmo cargo ou buscar se atualizar pra conquistar novos postos?


Questionamentos que nos fazemos a todo momento, não? Me contém, já assistiram essas séries? O que acharam?

Beijos, beijos


Inspiração: Mini wedding

quarta-feira, maio 31, 2017

Como você sabem, maio é conhecido como o mês das noivas e como casamento é um dos temas que a equipe do LF adoro abordar, não poderíamos deixar de trazer um post sobre o assunto. Conversando com uma amiga, ela me disse que quando for casar quer algo mais íntimo, só para familiares e amigos, nada muito grande. E, coincidência ou não, depois dessa nossa conversa  passei a ler (e ver) muitas matérias sobre casamentos pequenos, também conhecido como Mini Wedding. 

Esse modelo vem conquistando muitos casais que veem nesse formato uma solução para reunir "os mais chegados" e gastar pouco. Sem contar que as celebrações menores da a opção dos noivos abusarem mais do "faça você mesmo". Independente do tamanho da festa/celebração/cerimônia que você for fazer, não pode ser deixado de lado o número de convidados; ambiente (fechado ou aberto); horário; estilo, entre outros.


Separei algumas inspirações pra quem não quer deixar a data passar em branco, mas não tem muito dinheiro para investir (sim gente, casamento é investimento).







O que vocês me dizem do mini wedding? 

Beijos, beijos

ps. todas as fotos foram retiradas do Pinterest.