Bate-papo com Paulo Borges do SPFW

segunda-feira, março 24, 2014

Para quem não sabe na última terça-feira, dia 18, rolou um bate-papo pela internet com o Paulo Borges organizador do São Paulo Fashion Week. E claro que eu estava lá acompanhando. Como tinha muitas perguntas Paulo Borges só respondeu as mais relevantes, e eu trouxe para vocês como que foi essa conversa.

Paulo Borges é criador do Calendário Oficial da Moda Brasileira e CEO da Luminosidade, plataforma de conteúdo responsável pela realização do São Paulo Fashion Week e do Fashion Rio. Desde o início ele aliou moda à cultura e fomentou o debate sobre a Economia Criativa, sendo o SPFW reconhecido pela Unctad como referência internacional na área, apresentado como case pela ONU na Expo Xangai 2010.






Como funciona o processo de seleção para que uma marca possa desfilar no SPFW?

Cada marca que pretende desfilar no SPFW deve enviar para nós um portifolio com o planejamento estratégico para ser avaliado pelo comitê.

Já que as modelos trans prosperam no Brasil, mesmo ainda com o conservadorismo, o que você acha, isso seria um modismo ou somente uma fase?

Várias trans já desfilaram no SPFW e também já estamparam a capa da revista Mag. Nós adoramos a diversidade, seja ela racial, sexual e em geral.

Com quanto tempo de antecedência vocês começam a organizar a próxima edição do evento?

Cada edição do SPFW é preparada com no mínimo 6 meses de antecedência. Mas a ideia original é pensada até 3 anos antes.

 A SPFW pretende realizar mais ações que integram o evento à cidade, como a que rolou no metrô e nos CEUs?

Pensamos constantemente em ideias e ações que transcendam o SPFW na construção da cultura de moda e da percepção da importância da economia criativa liderada pela indústria da moda. Teremos sim ações nos CEUs, o que para nós é um imenso prazer e um enorme desafio transpor as barreiras do que seria um entendimento do que é moda para uma troca real de como viver a moda.

Com todas as diferentes concepções do que é e não é arte, na tua opinião, a moda é arte?

Sem dúvida moda é arte, moda é cultura, moda é uma expressão viva e uma interpretação artística do momento em que vivemos. Arte é transversal. Moda é transversal. Arte e moda habitam universos de reflexão e de questionamentos constantes, um alimenta o outro para trazer o novo.

O que as grandes empresas de moda procuram hoje num profissional de criação?

O que o estilista ou criador de moda deve ter em mente? Essa questão é chave para qualquer profissional desenvolver o seu talento. Há 30 anos, um grande estilista poderia afirmar facilmente o que era moda e o que estava fora de moda. Nesta década estamos vivendo uma total inversão de percepção, que define o desejo de consumo. Hoje um estilista deve perguntar "o que você consumidor tem desejo de usar?". A escolha não está mais na escolha de quem cria, mas sim de quem consome. Esse é o desafio para qualquer empresa que trabalha com moda.

O que você acha sobre a cobertura que as blogueiras fazem das semanas de moda, como o SPFW? Acredita que elas conseguem transmitir a essência do evento ou apenas falam o que os leitores querem ler?

As blogueiras são um fenômeno mundial. Elas fazem uma cobertura muito importante e relevante para disseminar a informação de moda que está sendo apresentada naquele momento. A responsabilidade delas não é em transmitir a essência de um evento ou de uma coleção, mas sim o que elas entendem com o seu olhar, o que seu leitor está acostumado a ouvir de suas palavras.

Depois de quase 20 anos de evento você encontra muitas dificuldades para realizar o SPFW? Quais são os maiores desafios de se realizar um evento tão grande que é referencia mundial?

Nesses quase 20 anos nos impomos desafios muito particulares, sempre buscando inovação, emoção e paixão naquilo que fazemos e naquilo que acreditamos: moda brasileira. Todas as conquistas e vitórias alcançadas até hoje são uma mistura de prazer e sacrifício. Poderia dizer que é fácil porque sempre conseguimos chegar nas metas que nos propomos, mas é claro que isso é uma escolha de alma, o que dá a leveza de dizer isso.

Qual a sua visão sobre o atual cenário da moda brasileira (sobre o mercado e as marcas)?

O mundo da moda, indo além do Brasil, vive um momento de transformação enorme, mudanças de processos, mudanças de timing e mudanças de acesso. Todos esses pilares que transformaram a mudança do mundo econômico e global, afetam o que até ontem se entendia como um processo de criação e produção para a indústria da moda. Vivemos exatamente a década das mudanças, a década das rupturas. Estamos construindo um novo momento e em alguns anos iremos perceber que o mundo mudou.

Na sua opinião o que falta na moda brasileira?

PB: Faltam muitas coisas para a moda brasileira, mas garanto que não é criatividade. O que falta está diretamente atrelado à capacidade do país de criar um plano de desenvolvimento pensando no que a moda é enquanto economia, cultura, inclusão social e transformação. O Brasil ainda é um país preso aos moldes de uma economia fechada e com resquícios de hábitos da era da hiperinflação. Tudo isso deve desaparecer para se formar um novo país: moderno, criativo, ágil, desburocratizando e que expresse o que ele é de fato. Que é colorido, jovem, envolvente e quente!

 As unhas, hoje, são uma atração em quase todos os grandes desfiles das semanas de moda internacional, porque você acha que isso não acontece aqui no Brasil? Você pretende mudar isso e de que forma?

As unhas são sim um ponto importante nos lançamentos de moda no nosso mercado e nos desfiles. Elas  vêm acontecendo a cada edição com maior intensidade e com lançamento estratégicos associados a empresas que produzem as coleções, os esmaltes e todas as inovações dessa área, sempre casada com um designer, com o SPFW, associando esse segmento diretamente à moda como uma plataforma de lançamento.



Foto que Paulo Borges divulgou no final do bate-papo pelo facebook

P.S.1: As perguntas eu retirei dos participantes, qualquer objeção é só entrar em contato pelo email lucidezfeminina@gmail.com

P.S.2: Fotos e informações do Paulo Borges foram retiradas do site do SPFW.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nos conte o que você achou do post, adoramos receber elogios, críticas construtivas e sugestões de temas.