Oscar: O que achei dos filmes indicados

segunda-feira, março 30, 2015

Como vocês sabem, fevereiro foi a premiação do Oscar 2015 (é eu sei estou atrasada com o post). Esse ano foi a primeira vez que eu parei para acompanhar, e claro que vim falar o que achei de algumas indicações.
Oscar: O que eu achei dos filmes indicados

Ao todo são 24 categorias correndo a melhor filme; melhor ator; melhor filme em língua estrangeira; melhor atriz; melhor animação; entre outros. Esse ano foram indicados sete filmes como o melhor, sendo dois deles "Birdman ou (A inesperada virtude da ignorância)" e "O grande hotel Budapeste", tendo nove indicações cada, " O jogo da imitação", com oito, e "Boyhood: Da infância à juventude" indicado a seis estatuetas.

Eu assisti todas as produções indicadas para a categoria de melhor filme e quero ver, se não todos, mas a maioria dos filmes que foram indicados. Dos indicados ao melhor filme do ano, eu não tenho um preferido. Cada um teve algum pedaço, algum momento que me chamou a atenção. 


Começando por Sniper Americano ele foi indicado a melhor edição de som, e como não conheço muito sobre essa parte fica difícil dar uma opinião. Eu não notei nenhuma falha e nada que eu pensasse "nossa essa cena ficou com o som muito fake". Agora sobre o filme eu achei bom, mas não ao ponto de me deixar "ual". 


A história é super bonita, conta como Chris Kyle (Bradley Cooper) conseguiu  separar a guerra da sua vida pessoal, mostrando as "cicatrizes" que ela deixou. A todo momento eu ficava pensando, que ao mesmo tempo que a história é real é também uma coisa difícil de acreditar, porque tudo que está sendo retratado pode estar acontecendo nesse instante. É um filme super longo, mas, que pra mim, não te prende a todos os instantes.



Sniper Americano


Birdman ganhou como melhor filme e eu acho que não foi merecido, na verdade, pra mim nenhum dos indicados estavam ao ponto de ganhar como melhor. Mas enfim.. O filme se passa 90% dentro de um teatro, aonde é apresentada a adaptação de um conto. De acordo com a sinopse Birdman é sobre um homem que está tentando voltar a ser famoso, mas que para mim ele é mais do isso. 

O filme conta, através de todos os atores, como que em certos momentos colocamos uma mascára e nos transformamos em outras pessoas. Como que é dificil depender da aprovação dos outros, no caso do público, para "ser" alguém. Birdman faz uma crítica ao poder que a fama tem sobre algumas pessoas, e como elas são capazes de fazer tudo, só para ser lembrado


O filme também ganhou a estatueta com o melhor diretor de fotografia. Achei merecido, devido aos enquadramentos que o diretor Emmanuel Lubezki fez. Só com a posição certa da câmera, ele conseguiu transmitir muitas das emoções que os personagens estavam sentindo. 



Birdman

Boyhood: Da infância à juventude  é um daqueles filmes de sessão da tarde, claro se não fosse tão grande. É super interessante ver o processo de crescimento e amadurecimento de uma criança, mas ao mesmo tempo você fica na expectativa de que a qualquer momento vai acontecer algo. 

O filme também discute como uma mãe solteira faz tudo para o bem dos seus filhos, e como  nós mulheres não devemos nos sujeitar aos maus tratos dos homens. Boyhood ganhou o Oscar com a indicação de melhor atriz coadjuvante para Patricia Arquete, que interpreta Olivia a mãe das crianças. É um papel forte que mostra essa mãe durante vários estágios de uma vida, e que já passou por diversas coisas. 

Também estavam concorrendo para melhor atriz coadjuvante as atrizes dos filmes Livre, O Jogo da Imitação, Birdman e Caminhos da Floresta. O único filme que não assisti foi Livre, porém as outras atuações estavam muito boa. Fica até difícil escolher uma preferida. 


Boyhood

O Grande Hotel Budapeste me fisgou já pelo começo ser de época (pretendo não puxar muito o saco, porque adoro filmes nesse estilo). Gostei, é engraçado, sai dos cliches de alguns filmes. A única coisa que eu não curti muito foi o autor que interpretou o garoto de recados já adulto. 

A uma distorção de cor de pele e fisionomia, acho que o diretor Wes Anderson, poderia ter escolhido outro autor.   O filme ganhou três estatuetas, nas indicações de melhor figurino, melhor maquiagem e cabelo,  melhor direção de arte, melhor trilha sonora. Eu acho que foi super merecido, eu gostei bastante do filme e toda a sua composição, suas cores e a forma como as cenas foram montadas. 


O Grande Hotel Budapeste

O Jogo da Imitação para quem não sabe é uma cinebiografia (como a maioria dos filmes indicados ao Oscar), de Alan Turing, um cara que respirava, vivia, comia ou números e que suas descobertas ajudaram na evolução de muitas coisas, como os computadores. 

Eu gostei do filme, fez com que eu relembrasse um pouco da Segunda Guerra e conhecesse uma pessoa que foi importante na história. O ator Benedict Cumberbatch atuou bem, deu para ver nitidamente como que o Alan Turing era, e como a descriminação contra os homossexuais naquela época já era grande. 

O filme ganhou o Oscar como o melhor roteiro adaptado. Nessa categoria fica complicado eu falar se foi merecido ou não, porque não li o livro e pode ser que não houve muitos cortes da obra escrito, como pode ser sim. 



O Jogo da Imitação

Selma é um filme simplesmente lindo, adorei e sofri do começo ao fim. Selma nos mostra um passado tão triste - e que de fato aconteceu -, e que ao mesmo tempo é algo muito atual. Nunca cheguei a estudar/pesquisar a história do Martin Luter King, mas o pouco que ouvi dizer sobre ele consegui perceber quão forte aquele homem era; triste por tudo o que ele e o seu povo estavam passando; e temente a Deus.  A única coisa que eu espera mais era do final. O Oscar de melhor trilha sonora para Glory, de John Legend, foi mais que merecido. Só pela música você consegui sentir o poder que ela tem. 


Selma

Sobre A Teoria de Tudo eu nunca tinha ouvido falar do Stephen Hawking, e adorei conhecer esse físico e toda a sua trajetória e esforço para chegar até aonde ele chegou. É um filme que me prendeu do começo ao fim, me fazendo questionar diversas vezes qual é a minha superação. A Teoria de Tudo nos ensina isso, da uma "injeção de animo" sobre os nossos sonhos e nos faz pensar até aonde vamos pelo outro. A atuação de Eddie Redmayne (que interpreta o Stephen) está espetacular, você sofre junto com o personagem e o Oscar de melhor ator, foi mais que merecido. 


A Teoria de Tudo

E por último vem Whiplash, que é aquele filme que todo amante de música, tem que assistir. Ele é um filme duro porque mostra um método, que pra mim, ao mesmo tempo que é bom é horrível, e como fazemos de tudo para ser o melhor, para dar mais que 100% do nosso potencial. A melhor parte do filme (#olhaospoleir) é quando o jovem baterista Andrew Neiman, desafia o professor de jazz Terence Fletcher na abertura de um festival, mostrando que ele é sim bom e que todos os xingamentos, as provações, os desafios o tornaram um grande baterista. Whiplash faz a gente pensar até aonde vamos pelos nossos sonhos. 

O filme ganhou como a melhor mixagem de som; o melhor ator coadjuvante; e a melhor edição. Não tenho o que descordar, porque Whiplash é um filme que está sempre em constante movimento e são poucas as cenas aonde tudo está "calmo". 

Whiplash

O post foi longo, mas eu adorei escrever e ver os filmes. Depois que comecei a fazer uma disciplina de cinema aqui na Colômbia, me apaixonei ainda mais pelo mundo cinematográfico. O próximo texto sobre esse gênero quero trazer alguns filmes alternativos que são bons, e que nem sempre passam no cinema. 

Quem assistiu o Oscar, ou os filmes indicados como o melhor, deixa aqui nos comentários falando o que achou, se concorda com que eu acho ou não, e claro indicar filmes que vocês andam assistindo.

Beijos, beijos






Vlog: 2º dia em Cartagena

quarta-feira, março 25, 2015

Olá lindezas!
Hoje tem vlog, mostrando um pouco mais de Cartagena. Nesse episódio experimento um look novo, vestido + tênis esportivo, mostra um dos restaurantes que eu e as meninas almoçamos e, claro, as ruas da cidade. 

Não esquecem de dizer o que estão achando dos vídeos, a opinião de você é muito importante. 


Beijos, beijos

Esmalte da Semana: Blueberry Moon - Toy Nail Polish

terça-feira, março 24, 2015

Olá lindezas!
 Eu estava com muita vontade de usar um preto, mas como não trouxe nenhum e também não encontrei nenhum tom de preto que me agradasse para comprar, acabei escolhendo um roxo.

E eu me apaixonei pela cor. Ele é Blueberry Moon, da marca Toy Nail Polish, um tom de roxo vivo que em alguns momentos parece um azul turquesa. Ele é cremoso, eu passei duas vezes, mas uma já suficiente. A durabilidade não é tão boa, passei no sábado e no domingo depois de cozinhar já tinha saído uma lasquinha, ai lá vai eu retocar (#quemnunca).







Lindo neh! Alguém mais gosta de esmaltes com cores vivas que nem esse?

Beijos, beijos


Comprinhas: Sephora, O Boticário, Tracta, Paperview e mais....

segunda-feira, março 23, 2015

Olá meus amores, tudo bem?

Hoje vou mostrar algumas comprinhas que andei fazendo pela Sephora, Tracta Shop, O Boticário, Paperview e um recebido da Johnson's O.O!!! Mas não se preocupem não é muita coisa  (tipo umas 3 coisas de cada marca) !!!!







Agora me contem o que andaram comprando e o que acharam das minhas novas aquisições.
Peço perdão pela qualidade do vídeo, porque ainda estou me adaptando ao programa de edição.

Beijos,

#diariodeviagem: Como que é estudar em uma universidade estrangeira

sábado, março 21, 2015

Uma das minhas dúvidas de quando vim para a Colômbia é como que seriam as minhas aulas. Ficava imaginando de mil e uma formas, principalmente com as que aparecem em filmes. Mas claro que a realidade foi totalmente diferente.

O programa que eu participei para fazer o intercâmbio tem convênio com diversas universidades, tanto publicas como privadas. A que eu estou (Universidad Pontifícia Bolivariana - UPB) é privada e tem um sistema diferente em comparação com a UFOP, que é pública.

Aqui na UPB eu tenho seguro estudantil, só entra alunos com a carteirinha da universidade, no meu caso tem dias que eu tenho aula de manhã - a primeira começa às 6h -, os professores sempre acabam a aula mais cedo, e as horas complementares do curso devem ser preenchidas com atividades como dança, canto, judô, etc.

Como só estou de "passagem" não sou obrigada a fazer nenhuma dessas atividades. O horário do semestre parece "pesado", mas não. Geralmente todos os alunos fazem no minimo sete matérias (eu também estou nesse meio), mas como nem todos os professores são exigentes as aulas acabam ficando "fáceis". 




A minha adaptação com o ritmo daqui foi super rápido. A única coisa que eu não me conformo é com o desinteresse dos alunos. Muitos tem preguiça de estudar, de pesquisar as coisas, querem tudo de "mão beijada", sentem preguiça de pensar, escrever... e por ai vai. 

Não sei se é porque sempre fui muito estudiosa - estudos em primeiro lugar -, mas esse tipo de coisa eu realmente não consigo entender. 

Um outro item diferente, é que aqui as pessoas entram na faculdade com 16 anos (\0/). Isso mesmo pessoal, com 16 anos. Para mim essa é uma idade que ainda não estamos maduros (e nem chegando perto) e que demanda muita responsabilidade. Nem todo mundo sabe que curso quer fazer nessa idade, ou o que realmente quer na vida. 


Em sentido horário, Christi, Amanda e Eu

A UPB é uma universidade católica, então ela possui uma capela, tem missas todos os dias e as meninas não só vão de calça para as ulas, mesmo que esteja muito calor. Eu e as outras brasileiras tentamos seguir essa "regra" que eles possuem, mas tem dias que não da pra colocar uma calça, e vamos sim de shorts ou vestido.

Uma coisa que eu também observei é que os cursos aqui são mais teóricos do que práticos. Por exemplo eu que faço jornalismo, aqui na Colômbia é Comunicação Social - Jornalismo. O curso aqui é mais para a área de socais do que pra quem realmente quer só jornalismo. O bom é que eu to fazendo matérias que não tem na Ufop, como Literatura e Direito da Comunicação. 

É uma cultura diferente, um ritmo, um estilo que você acaba se adaptando fácil. Todos os alunos, professores e funcionários são simpáticos, atenciosos, e sempre estão pronto para ajudar. E podem ter certeza que essas experiências são uma adicional a mais em sua vida e em sua carreira.

Beijos, beijos






#diariodeviagem: Como que é estudar em uma universidade estrangeira

Uma das minhas dúvidas de quando vim para a Colômbia é como que seriam as minhas aulas. Ficava imaginando de mil e uma formas, principalmente com as que aparecem em filmes. Mas claro que a realidade foi totalmente diferente.

O programa que eu participei para fazer o intercâmbio tem convênio com diversas universidades, tanto publicas como privadas. A que eu estou (Universidad Pontifícia Bolivariana - UPB) é privada e tem um sistema diferente em comparação com a UFOP, que é pública.

Aqui na UPB eu tenho seguro estudantil, só entra alunos com a carteirinha da universidade, no meu caso tem dias que eu tenho aula de manhã - a primeira começa às 6h -, os professores sempre acabam a aula mais cedo, e as horas complementares do curso devem ser preenchidas com atividades como dança, canto, judô, etc.

Como só estou de "passagem" não sou obrigada a fazer nenhuma dessas atividades. O horário do semestre parece "pesado", mas não. Geralmente todos os alunos fazem no minimo sete matérias (eu também estou nesse meio), mas como nem todos os professores são exigentes as aulas acabam ficando "fáceis". 




A minha adaptação com o ritmo daqui foi super rápido. A única coisa que eu não me conformo é com o desinteresse dos alunos. Muitos tem preguiça de estudar, de pesquisar as coisas, querem tudo de "mão beijada", sentem preguiça de pensar, escrever... e por ai vai. 

Não sei se é porque sempre fui muito estudiosa - estudos em primeiro lugar -, mas esse tipo de coisa eu realmente não consigo entender. 

Um outro item diferente, é que aqui as pessoas entram na faculdade com 16 anos (\0/). Isso mesmo pessoal, com 16 anos. Para mim essa é uma idade que ainda não estamos maduros (e nem chegando perto) e que demanda muita responsabilidade. Nem todo mundo sabe que curso quer fazer nessa idade, ou o que realmente quer na vida. 


Em sentido horário, Christi, Amanda e Eu

A UPB é uma universidade católica, então ela possui uma capela, tem missas todos os dias e as meninas não só vão de calça para as ulas, mesmo que esteja muito calor. Eu e as outras brasileiras tentamos seguir essa "regra" que eles possuem, mas tem dias que não da pra colocar uma calça, e vamos sim de shorts ou vestido.

Uma coisa que eu também observei é que os cursos aqui são mais teóricos do que práticos. Por exemplo eu que faço jornalismo, aqui na Colômbia é Comunicação Social - Jornalismo. O curso aqui é mais para a área de socais do que pra quem realmente quer só jornalismo. O bom é que eu to fazendo matérias que não tem na Ufop, como Literatura e Direito da Comunicação. 

É uma cultura diferente, um ritmo, um estilo que você acaba se adaptando fácil. Todos os alunos, professores e funcionários são simpáticos, atenciosos, e sempre estão pronto para ajudar. E podem ter certeza que essas experiências são uma adicional a mais em sua vida e em sua carreira.

Beijos, beijos






Look: Vestido longo

sexta-feira, março 20, 2015

Olá meninas!
Hoje eu trago mais um look que eu usei em Cartagena, dessa vez foi um vestido longo. Estava doida pra usar um, mas nunca encontrava um modelo que me fizesse brilhar os olhos. E ai que descobri que a Amanda (uma das brasileiras que está aqui comigo) trouxe vários, um mais lindo do que o outro. E claro que eu pedi para experimentar um, e adivinhem?! Ficou lindo.

Não sou alta e não acredito quando as pessoas dizem que baixinha não fica bom com vestido longo. A partir do momento que passamos a conhecer o nosso corpo, ficamos bem com tudo. E experimentar novas combinações, faz parte dessa descoberta.

E com essas descobertas vi que fico bem com vestido longo me sinto levo e solta, ainda mais no calor que faz na costa Caribenha. Sobre o look, eu escolhi para compor a produção um brinco grande azul pra quebrar o preto e branco do vestido, e a minha querida uma bolsa saco (daqui a pouco ela sai andando sozinha). Nos pés, coloquei uma rasteirinha e como o meu cabelo estava sujo, fiz um rabo de cavalo com um topete.








Lindo o vestido neh! E essa paisagem então!
Quem mais gosta de usar vestidos longos? Se conhecer alguma loja que vende alguns bonitos, indica ai. =D

Beijos, beijos

Vlog: Conhecendo Cartagena - 1º dia

quinta-feira, março 19, 2015

Deixei a vergonha de lado e gravei o segundo vlog do intercâmbio, dessa vez na cidade de Cartagena de Indias. Semana passada fui com a disciplina de Periodimo IV - em outras palavras cinema -, para o Festival Internacional de Cine de Cartagena.

Esse ano foi a 55º edição e são seis dias de puro cinema, debates, apresentações e premiações. Eu fiquei quatro dias, de quinta a domingo, e vimos muita coisa interessante, conhecemos quase todo o centro histórico a pé, e também fomos em um das praias que tem por perto.

Sobre o Festival eu vou fazer um post a parte e convido você a dar play e conhecer como que foi o meu primeiro dia lá. 




Beijos, Beijos


Look: Vestido + Tênis

terça-feira, março 17, 2015

Olá pessoas, depois de muito tempo sem trazer alguns look pra vocês, voltei! Semana passada eu fui pra Cartagena de Índias com a universidade, e aproveitei para experimentar algumas combinações.

Esse look eu usei no segundo dia e como já tinha visto várias produções de blogueiras com tênis e vestido, também quis ver se eu ficava bem com a combinação. E não é que eu adorei!

O tênis esportivo e a bolsa saco deu um tom diferente e tirou a cara de social que o vestido tem.







Beijos, beijos

E a saudade, como que anda?

quinta-feira, março 12, 2015

Vai bem obrigada!
Um pouco dolorida, um pouco "normal", um pouco "é melhor não pensar nisso" e por ai vai. Não sei se já falei com vocês sobre isso, mas nem sempre é fácil viver longe das pessoas que você ama. É libertador, é mágico, é uma experiência única, são novas amizades, novas descobertas e uma nova
forma de conhecer a si mesma. Porém, a saudade sempre vai estar ali esperando por uma brecha para poder se manifestar.

O que eu tenho pra dizer é: sinta a saudade, chore, grite, tenha vontade de voltar pra casa (mas não volte, por favor), vire criança, ligue para a mãe, pai, amigos, cachorro, para todo mundo que vai curar, pelo menos 10% desse sentimento.



Depois que eu sai de casa posso dizer que uma parte de mim se acostumou com essa distância. Claro que de vez em quando eu tenho as minhas crises, mas no final tudo volta ao "normal" e a saudade vai embora. E é até engraçado quando as pessoas me perguntando se sinto saudade de casa, e as vezes eu respondo "não". Cada um, cada um neh!

Claro que nem todas as pessoas lidam da mesma forma com esse sentimento como eu. A minha irmã, por exemplo, não consegue viver ser a minha mãe, é super dependente. Uma das minhas melhores amigas também é. Uma colega não se vê morando em outra cidade, e a outra nunca imaginou morar fora, ainda mais em outro país, e acabar descobrindo que isso é revitalizante.

Esse tipo de saudade é algo que eu recomendo para todos, porque você embarca nesse novo mundo, nessa nova aventura de um jeito e volta totalmente de outro. É um novo lidar com seus próprios sentimentos, e aprender até aonde o seu limite vai. É rir de tanto chorar e chorar de tanto rir. É branco e preto, mas também é colorida. É você e todo o mundo pela frente.

Que a saudade nunca te impeça de fazer nada!

Beijos, beijos




50 tons de...

quarta-feira, março 11, 2015

Não, o post não é sobre o livro ou sobre o filme.  E sim, eu li o primeiro (estou lendo o segundo) e assisti a versão cinematográfica. Depois de tantas criticas, opiniões, disse me disse, resolvi guardar o que eu acho sobre a obra e fazer uma versão "diferente" - mais literaria e com itens - sobre o filme. 

... 50 tons de:

1. Sorrisos mais sinceros
2. Brilho nos olhos
3. Coração acelerado
4. Bom dia inesperado
5. Novas conquistas
6. Novas viagens
7. Novos lugares
8. Amores roubados
9. Pôr-do-sol 
10. Mensagens noturnas
11. Eu te amo
12. Mais alegria  
13. Menos tristeza
14. Mais amigos
15. Educação
16. Menos mentiras
17. Tardes no cinema
18. Noites dançantes
19. Beijos apaixonados 
20. Leituras interessantes
21. Leituras instigantes
22. Menos preconceito
23. Diversidade
24. Coca-cola gelada
25. Panelas de brigadeiro
26. Dança na chuva
27. Uma taça de vinho
28. Loucuras
29. E também  responsabilidade
30. Comida da mamãe
31. Boas notícias
32. Vida saudável
33. Alguns exageros
34. Céus estrelados
35. Pé na areia
36. Viagens sem destino
37. Noites mal dormidas (por uma boa causa)
38. Canto dos pássaros
39. Brisa leve
40. Surpresas
41. Rosas Vermelhas
42. Caridade
43. Bilhetes secretos
44. Palavras reconfortante 
45. Juras eternas
46. Amor próprio
47. Recordações
48. Igualdade
48. Despreocupações
50. Felicidade abundante

E claro, quem quiser adicionar mais tons a sua vida, fique sempre a vontade.

Beijos, beijos




Vida de Solteira

terça-feira, março 10, 2015

Vocês bem sabem, ou eu acho que sabem, que de nós quatro, eu sou a que está a mais tempo solteira, não sabem? Para quem convive comigo e conhece um pouco da minha história, sabe que quando fiquei solteira, aceitei essa nova realidade de cabeça erguida e sem sofrimento. Porque sem sofrimento? Porque, infelizmente, para algumas pessoas, a situação de se "estar solteira" é se "estar incompleto", o que eu discordo categoricamente. Por qual motivo? Pelo simples fato de que não é o fim do mundo, e está longe de ser!

Já ouvi várias opiniões diferentes sobre isso, e vira e mexe tento entender porque as pessoas acham tão complicado ser solteiro. Acho que poucos sabem que tive um relacionamento relativamente longo. Conheci meu ex-namorado com apenas 15 anos, e numa idas e vindas, altos e baixos, começarmos a namorar logo quando completei 17. Ficamos juntos por 2 anos, 4 meses e alguns dias, e apesar de olhar para trás e sentir uma decepção enorme, tenho certeza que nada teria feito eu amadurecer tanto nesse assunto se não fosse a minha experiência ao lado dele.

Em 2012, quando terminamos nosso namoro, eu já tinha certeza que não daríamos certo, e aceitei que, dali pra frente, eu era uma mulher solteira, que teria que me acostumar com algumas coisas que não faziam parte da minha rotina, e principalmente, não existia a necessidade de sofrer.

Vejo a vida de solteira como uma oportunidade de se conhecer melhor, de saber o que se quer, o que se gosta, o que se ama, só que sozinho. E francamente, não vejo mal nenhum nisso. Acredito que seja uma oportunidade de se amar mais, de ter outros tipos de experiências, de ver a vida de outras formas, de dançar do seu jeito, no seu ritmo, no seu tempo. É a oportunidade de conhecer outro jeito de viver e ser feliz, sem aquela necessidade de ter alguém do seu lado, Meu pai me disse uma vez que uma vida de solteiro, é uma vida sem cobranças, e eu concordo com ele em gênero, número e grau.

Não penso no namoro como uma situação necessária na minha vida. Para eu, só faz sentido estar com alguém hoje, se ele me fizer mais feliz do que eu já sou, se os meus sorrisos ao lado dele, forem ainda mais espontâneos do que já são. Não quero voltar a  namorar, para ter o que responder para a minha tia numa reunião de família, ou para ter alguém para ir ao cinema no sábado à tarde, ou para simplesmente comemorar o dia dos namorados. Sou feliz com a vida que tenho e que levo. Gosto da minha liberdade e valorizo cada segundo dessa experiência maravilhosa que é ser solteira. Gosto das histórias que tenho para contar, gosto dos momentos que vivi ao lado dos meus queridos amigos, gosto até dos momentos que me senti triste, pois aprendi muito com eles.

Em resumo, gosto da mulher que me tornei sendo solteira, e das coisas que eu aprendi, Sou forte, suficiente, me amo acima de qualquer coisa e vivo hoje, de um jeito leve, sem preocupações, desconfianças ou medos. Espero que todos saibam, que para ser feliz, não é preciso ter alguém do nosso lado, pois nós nos completamos por si só.

Deixem seus comentários aqui, deem opiniões. Gostamos de saber o que vocês pensam.

Beijo enoooooorme!



Resenha: A Sangre Frio + Filme: Capote

segunda-feira, março 09, 2015

{O Lucidez está passando por uma série de mudanças, começando pela arte do cabeçalho. Até o fim de ano queremos mudar o layout e de plataforma. Tudo isso é para deixar o espaço mais aconchegante, para vocês leitores, e claro que vamos informando como que as coisas estão indo.}

O livro



Esse é um dos livros que todo professor de comunicação indica para os seus alunos. A
Sangue Frio é um relado de uma das mortes mais sangrentas que ocorreu na cidade de Holcomb, no Kansas, que foi transformada em livro por Thruman Capote. O autor, que tinha uma memoria formidável (lembrava 95% de tudo que ouvia), passou para as mais de 300 páginas todos os detalhes desse caso.

Foram mais de dois anos, pesquisando, conversando com os moradores da cidade, com o xerife e com os próprios assassinos, coletando todo tipo de informação para que nenhum detalhe faltasse.

A Sangue Frio também pode ser classificado como uma crônica, pela rica descrição dos acontecimentos e pelo relato cronológico. A história é centrada na família Clutter que foi morta por Dick e Perry por causa de dinheiro. Os assassinos não conheciam a família, e só foram a encontro dela por causa de uma descrição de um colega de cela de Dick, dizendo que ele achava que tinha na casa um cofre com dinheiro.

Dick e Perry, que também se conheceram na cadeia, resolveram ir assaltar a casa e não deixar nenhuma testemunha. Depois de matarem a família, viajaram para vários lugares dos Estados Unidos, vivendo "adoidado", distribuindo cheques sem fundo, roubando coisas, e tudo o mais que lhe viesse a cabeça.

Já em Holcomb a polícia continua, firme e forte, na investigação das mortes. Quando descobrem quem são os responsáveis pelo crime, eles são julgados e condenados a pena de morte.

Entre o começo, meio e fim da história, o leitor consegue visualizar todos os ângulos do caso, como que os personagens eram, suas características, a forma que eles pensavam, enfim você consegue criar na sua mente tudo que acontece no livro.

Uma coisa que eu recomendo é muita atenção a leitura, porque em um momento Truman está falando sobre a família Clutter e no paragrafo seguinte já começa a descrever o que os assassinos estão fazendo, e vice-versa.  Com o tempo você se acostuma com o ritmo.

É uma leitura que eu super recomendo, ainda mais para as pessoas que gostam de livros policiais.

O Filme




A primeira recomendação que eu faço é ler o livro antes de assistir o filme. Por ele ser grande (319 paginas) nos primeiro 30 minutos de filme, o diretor já nos mostra os principais acontecimento: morte da família Clutter; pronunciamento do xerife sobre quem ele acha que são os culpados; ligação da polícia de Las Vegas para o Alvin (amigo de Mr. Clutter); e a chegada dos assassinos, Dick e Perry, na cidade de Holcomb.

Claro que nos filmes nem tudo da para ser mostrado, mas a sensação que eu tive assistindo Capote, foi que o filme ia acabar aos 27 min porque já tinha visto o começo, sabia do meio, e estava vendo o final.

Capote é o filme mais recente sobre o livro a Sangue Frio, além de contar um pouco da história ele também retrata como Thruman descobriu o caso, como foi o processo de pesquisa, o tempo que levou e a relação que ele teve com todas as fontes.

Uma das coisas que o livro não revela é que foi Thruman que arranjou os advogados para Dick e Perry, depois que eles já estavam na prisão com a pena de morte agendada. E que ele e Perry tiveram uma ligação muito forte, ficando a incógnita se eles chegaram a ter um caso.

É um  filme que eu recomendo, porque ele mostra como que o processo de criação de um livro pode ser doloroso, como que o envolvimento com uma fonte pode interferir o seu jeito de pensar, ou escrever.


Alguém já leu o livro ou já assistiram o filme? O que acharam?

Beijos, beijo



Parabéns pela nossa luta de cada dia

domingo, março 08, 2015

Um parabéns pra mim, pra você e para todas as mulheres desse mundo. Mas um parabéns não só por que hoje é o Dia Internacional da Mulher, mas sim,  um parabéns por todas as nossas conquistas, nossos sorrisos, nossa garra e nosso charme.

Que não só hoje, mas todos os dias, possamos ser parabenizadas por aquilo que nos tornamos, pelos desafios alcançados  e pela luta dos nossos direitos. Mas claro, nunca se esquecendo que em alguns momentos precisamos de colo, de um beijo ou simplesmente de um abraço.

Que a cada 8 de março nós mulheres possamos juntar-mo-nos e mostrar ao mundo o que nos tornamos e que estamos sempre em constante mudança, subindo a cada dia um degrau diferente.

Que os presentes de hoje não sejam apenas flores e chocolates, mas também reconhecimento e igualdade. 




#diariodeviagem: Aonde estou morando

sábado, março 07, 2015

Olá gente, o #diariodeviagem dessa semana eu mostro pra vocês um pouco do lugar que estou morando, aqui na Colômbia. A imagem não está 100%, mas da pra vocês verem como que é o lugar e me ouvirem direitinho. 



Beijos, beijos

#diariodeviagem: Aonde estou morando

Olá gente, o #diariodeviagem dessa semana eu mostro pra vocês um pouco do lugar que estou morando, aqui na Colômbia. A imagem não está 100%, mas da pra vocês verem como que é o lugar e me ouvirem direitinho. 



Beijos, beijos

Cuidados com a pele: Produtinhos que salvam!

quinta-feira, março 05, 2015

Olá pessoal, eu fiz um vídeo contando quais são meus principais cuidados com a pele do rosto, que era ótima, mas ficou um pouco rebelde e graça a todos esses produtos ela está melhorando e também graças ao meu comprometimento com a  rotina de beleza.



Breve descrição de cada produto:

Kit 3 Passos Clinique (sabonete + tônico + gel hidratante): limpe, esfolie e hidrate é a melhor definição para eles.

Anthelios AE serum: Protege contra os raios UVA e UVB, é um serum "aqua-gel" que é absorvido instantaneamente pela pele, além de contar com ácido hialurônico conhecido por suas propriedades hidratantes e alisantes, dentre outras propriedades.

Eau Thermal: A água termal da La Roche assim como as demais pode ser usada várias ao dia e tem propriedades suavizantes, calmante  e hidratante.

Protetor Solar Neutrogena Sun Fresh: Tem toque seco e FPS 70

It's Potent!: O Eye Cream da Benefit é um tratamento para olhos que clareia e reduz as olheiras entre outros benefícios.



A minha rotina:

Todos os dias de manhã eu lavo meu rosto com o sabonete liquido do kit 3 passos, na sequencia esfolio e hidrato.
Logo em seguida antes da maquiagem eu aplico o Anthelios AE.
Durante o dia eu reaplico o Anthelios ou Neutrogena, e se sinto necessidade de uma maior hidratação (raramente) reaplico também o gel hidratante do sistema 3 passos.
Quando está muito quente (o que tem acontecido nos últimos meses) eu aplico uma água thermal durante o dia.
No fim da noite após já ter retirado a maquiagem (antes de deitar) eu venho novamente com o sistema 3 passos só que com um esquema um pouco diferente, porque logo após a loção esfoliante eu aplico água termal em todo rosto e quando seca aí eu aplico o gel hidratante e na área dos olhos eu aplico o It's Potent.


Aqui vou deixar uma listinha dos produtos conforme aparecem no vídeo com preços e valores:
  • Kit Sistema 3 Passos - Clinique encontre aqui
  • Anthelios AE Serum FPS30  50mL - La Roche Posay (Kit com Eau Thermale) encontre aqui
  • Eau Thermale 50mL - La Roche Posay (individualmente) encontre aqui
  • Protetor Solar Neutrogena Sun Fresh FPS 70 120mL - Johnson Saúde encontre aqui
  • It's Potent! Eye Cream - Benefit encontre aqui
É isso pessoal espero que tenho gostado das dicas!
Beijos,

Tô desejando: Cabelo a la Sophie Charlotte

quarta-feira, março 04, 2015

Há mais ou menos seis anos atrás eu resolvi inovar no corte de cabelo. Cortei chanel pela primeira vez e me apaixonei pelo resultado, a partir daí nunca mais consegui  deixar ele passar do ombro.

Cabelo curto te deixa mais jovem, com cara de mulher e sem contar que no calor você sente o vento batendo na nuca (hahahaha). Quem tem, ou já teve, sabe do que eu to falando.

E de uns tempos para cá fiquei apaixonada (mais do que já estava) pelo corte da Sophie Charlotte, de quando ela fez O Rebu. É um corte joãozinho que fica bem em todo mundo, e que só sofre mudanças de acordo com o tipo do rosto.

Como estou na Colômbia, só vou mexer no meu corte quando voltar para o Brasil. E espero que até lá eu não mude de ideia ou desista (hehe). Vou mantendo vocês informada.





Beijos, beijos
Gabi Pinheiro

Afinal, que tipo de mulher eu quero ser?

segunda-feira, março 02, 2015

Um dia desses assisti um vídeo sobre como a mulher é retratada na mídia. Ele foi criado pelas organizações Paz com dignidad e Revista Pueblos, filmado no Brasil com o títlulo "O que a imagem da mulher brasileira na mídia tem a ver com a democracia da comunicação" discutindo os padrões de beleza impostos e destacando que a própria mídia - à que delega quais são esses esteriótipos - também tem o poder de desmistificar esse "padrão".

De alguns anos pra cá houve uma crescente "mobilização" em relação ao feminismo. O que antes era pouco discutido devido - justamente - a não divulgação de notícias (a todo momento) sobre o assunto, hoje está sendo como "um tapa na cara da sociedade", ainda mais no caso das mulheres, de como devemos deixar os esteriótipos de lado e esquecer que mulher não foi feita (só) para cozinhar, lavar e passar.

Um dos exemplos mais fortes, podemos dizer, foi o discurso da Emma Watson na ONU sobre a campanha #HeforShe, aonde ela convoca todas as mulheres a se levantarem e irem atrás do que é delas, principalmente da igualdade de gêneros. Não deixando os homens de lado, ela os aponta como peça importante na campanha anti-sexista.

Para quem ainda não assistiu, o discurso completo com legenda em português está aqui:





Ainda sobre como a mídia nos retrata e como muitas vezes somos influenciadas por ela, escrevi no blog a algumas semanas atrás, um relato de como passei a aceitar o meu corpo e como nos preocupamos com o que os outros acham da gente.

Cresceu em mim uma vontade de saber mais sobre o feminismo, ouvir exemplos reais e ter uma visão mais ampla sobre o assunto. Em uma dessas pesquisas, acabei conhecendo o blog The black Cupcake e, recentemente, a Naomi (dona do blog) fez um post sobre uma escritora nigeriana, Chimamanda Ngozi, que foi para os Estados Unidos estudar, já escreveu cinco livros sendo um deles transformado em filme "Meio Sol Amarelo" (sem previsão para chegar no Brasil), e que além de tudo isso, empodera as outras pessoas com os seus discursos.

Através das suas histórias pessoais ela faz com a gente pense sobre alguns momentos de nossas vidas, faz com que quebramos alguns esteriótipos (olha ele ai de novo) e nos convida a ser feministas.

E é ai que eu me questiono, e te questiono: "Afinal, que tipo de mulher eu (vocês) quero ser?". No momento a única coisa que eu sei, é que quero igualdade em tudo; quero não poder me preocupar com que os outros - principalmente os homens - vão achar quando eu fazer algo, que pra eles, é extraordinário e que duvidavam que eu não seria capaz.

Poder usar uma saia, um salto alto e o meu batom preferido e mesmo assim ser levada a sério, e não ser questionada pelas minhas habilidades. E claro aprender a cada dia novos empoderamentos.

E vocês, que tipo de mulheres querem ser?

Vamos empoderar, vamos deixar de fingir o que não somos, vamos lutar pelos nossos direitos, vamos lutar pelo tratamento igualitário entre os gêneros e o mais importante, vamos lutar para que as crianças, os nossos filhos, cresçam com uma visão ampa sobre as coisas e que eles não se sintam "presos" nos esteriótipos impostos pela sociedade, e nem pela mídia.

Beijos, beijos