E a saudade, como que anda?

quinta-feira, março 12, 2015

Vai bem obrigada!
Um pouco dolorida, um pouco "normal", um pouco "é melhor não pensar nisso" e por ai vai. Não sei se já falei com vocês sobre isso, mas nem sempre é fácil viver longe das pessoas que você ama. É libertador, é mágico, é uma experiência única, são novas amizades, novas descobertas e uma nova
forma de conhecer a si mesma. Porém, a saudade sempre vai estar ali esperando por uma brecha para poder se manifestar.

O que eu tenho pra dizer é: sinta a saudade, chore, grite, tenha vontade de voltar pra casa (mas não volte, por favor), vire criança, ligue para a mãe, pai, amigos, cachorro, para todo mundo que vai curar, pelo menos 10% desse sentimento.



Depois que eu sai de casa posso dizer que uma parte de mim se acostumou com essa distância. Claro que de vez em quando eu tenho as minhas crises, mas no final tudo volta ao "normal" e a saudade vai embora. E é até engraçado quando as pessoas me perguntando se sinto saudade de casa, e as vezes eu respondo "não". Cada um, cada um neh!

Claro que nem todas as pessoas lidam da mesma forma com esse sentimento como eu. A minha irmã, por exemplo, não consegue viver ser a minha mãe, é super dependente. Uma das minhas melhores amigas também é. Uma colega não se vê morando em outra cidade, e a outra nunca imaginou morar fora, ainda mais em outro país, e acabar descobrindo que isso é revitalizante.

Esse tipo de saudade é algo que eu recomendo para todos, porque você embarca nesse novo mundo, nessa nova aventura de um jeito e volta totalmente de outro. É um novo lidar com seus próprios sentimentos, e aprender até aonde o seu limite vai. É rir de tanto chorar e chorar de tanto rir. É branco e preto, mas também é colorida. É você e todo o mundo pela frente.

Que a saudade nunca te impeça de fazer nada!

Beijos, beijos




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nos conte o que você achou do post, adoramos receber elogios, críticas construtivas e sugestões de temas.