#Filme: Cidades de Papel

domingo, julho 19, 2015

Sim, eu assisti o filme Cidades de Papel e hoje vim contar para vocês o que eu achei. Em poucas palavras, filme de sessão da tarde. Mas ai, quem não assistiu vai pensar "poxa, que balde d'água Gabi, eu estava morrendo de vontade de ir ver". Não, eu não quero desanimar vocês, mas eu não achei que o filme foi fiel ao livro (como toda produção cinematográfica, Cidades de Papel teve as suas alterações). Já vou logo avisando que quem ainda não assistiu, ou leu o livro, pode fechar essa página porque esse texto vai conter um pouco de spoiler. Vou tentar o máximo não divulgar muita coisa, mas se encontrarem algo, não digam que não avisei.



Antes de fazer essa resenha/opinião sobre o filme, eu queria reler o livro (resenha dele você encontra aqui) pra confirmar algumas dúvidas sobre algumas cenas. Não consegui terminar o livro - na verdade acabei desistindo -, porque percebi que nos primeiro 10 capítulos de Cidades de Papel tem muita coisa que mostra no filme, mas também, tem muita coisa que o diretor ocultou.

Pra quem não conhece a história, vou colocar a sinopse dela pra só depois começar a pontuar o que eu curti e o que eu não curti.

"Quentin Jacobsen (Nat Wolff) nutre uma paixão platônica pela vizinha de escola Margo Roth Spielgeman (Cara Delevingne) desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma. Certa noite, Margo invade a vida de Quentin pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola, esperançoso de que tudo mude depois daquela madrugada e ela decida se aproximar dele. No entanto, ela não aparece naquele dia, nem no outro, nem no seguinte.Quando descobre que o paradeiro dela é agora um mistério, Quentin logo encontra pistas deixadas por ela e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quando mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava que conhecia."

Então vamos lá, o que eu curti:

*Da atuação da Cara Delevingne, ainda não tinha assistido nenhum filme que ela participou e achei que ela interpretou bem a Margo. O que eu mais gostei, foram as expressões faciais que ela usa.

*A adaptação das cenas nos supermercados foi uma coisa que eu gostei bastante, porque o diretor fez com que Margo e Quentin tivessem uma interação bacana entre eles.

O que eu senti falta/não curti:

*De mais detalhes na cena que Margo e Quentin acham o corpo do homem morto no parque. Pra mim, a cena pareceu um pouco vazia.

*Ainda sobre a cena do homem morto, acho que o diretor poderia ter colocado as ambulâncias - ou pelo menos o barulho delas - chegando para socorrer o morto.

*Não curti o fato do amigo do Quentin, Ben, ser descrito de uma forma (altura, cor do cabelo, pele e etc) no livro e no filme ele aparecer de outra forma.

*No livro o John Green descreve a Margo de uma forma (com x tipo de roupas), e o filme não foi muito fiel a isso.

*No filme, Margo fala que precisa fazer nove coisas, quando na verdade são 11 coisas. O filme ocultou muita coisa relacionada a noite que Margo entra no quarto de Quentin.


Eu sei que os itens de senti falta/não curti, está maior do que as cenas que eu curti, mas isso não significa que vocês não devem ir assistir o filme. Pelo contrario, ai é que você devem ir ver e me contar se concordam com as coisas que pontuei.

Beijos, beijos




3 comentários:

  1. É o mesmo autor de "A Culpa é das Estrelas?" Estou curiosa para assistir ao filme! Pena que vc não tenha gostado!
    Bjs da Su!
    www.rosachiclets.com.br


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sim Rosa, assisti sim o filme e vem me contar o que você achou.
      Beijos, Gabi

      Excluir
  2. Estou louca pra ler e assistir, pena que não gostou,bjkas linda
    http://www.garotafucada.com.br/

    ResponderExcluir

Nos conte o que você achou do post, adoramos receber elogios, críticas construtivas e sugestões de temas.