Planos a dois é menos importante do que planos pessoais?

segunda-feira, janeiro 11, 2016

Porque quando somo novos e queremos realizar planos a dois como noivar, comprar uma casa ou guardar dinheiro para o futuro, algumas pessoas torcem o nariz e acabam desvalorizando essas conquistas? Me peguei pensando sobre isso no banho (sim, eu adoro pensar/filosofar/fazer planos de baixo do chuveiro) e lembrei do que a minha mãe e meu padrasto  falaram sobre eu noivar aos 22 anos (não, ainda não estou noiva), e até de amigas que casaram cedo - ou têm vontade de realizar esse sonho - e ouviram (acredito eu) muitas coisas sobre a idade, se é isso mesmo que elas querem, se esse é o momento certo, etc. Peguei o casamento como exemplo, mas vocês podem adicionar na lista morar juntos, comprar um carro (juntos), abrir um negócio (juntos), entre outros.

Eu sei que os tempos mudaram e que os nossos pais, avós e tios querem que tenhamos um futuro brilhante, um bom trabalho, um diploma, muitas viagens e que nesse momento a única preocupação seja com nós mesmos. Eu sou super a favor de tudo isso e acho que não devemos deixar de realizar os nossos sonhos por conta de um relacionamento. Mas também fico pensando, e se a pessoa quiser ter essa dupla preocupação e já dar início a uma "vida adulta" a dois?  Porque eu vejo muitas meninas ficando mal devido a pessoas que acham que esse não é o momento certo para dar um passo a mais em um relacionamento, e não fazem isso justamente por causa do que a família, vizinhos, amigos e demais vão falar.



[ Imagem: Amaia Arrazola]
Não estou dizendo pra ninguém chutar o "pau da barraca" e ir fazendo o que bem entender sem ter um planejamento  e estrutura. Também não vou ser hipócrita falando que nunca julguei alguém por ter casado cedo ou já ter ido morar com o namorado. E é partir desse tipo de pensando que (infelizmente) às vezes me vem a cabeça, que me faz enxergar que eu tenho que parar com isso, porque em algum momento pode ser eu na situação dela/dele.

Recentemente li um texto sobre "5 coisas que acabaram comigo depois que viajei" e um desses itens é justamente sobre a autonomia que temos para fazer as coisas sem ser julgados, quando estamos fora do nosso país ou cidade. E acredito que temos que levar essa autonomia para todos os cantos da nossa vida, porque de vez em quando faz bem fazer as coisas sem ser julgados.

E a dica que dou pra você, pras amigas e pra mim é que a partir de agora a gente saiba enfrentar (da melhor forma) os questionamento que os outros vão dizer quando olharmos pra eles falando "Sim, eu vou noivar com 22 anos"; "Eu me caso daqui dois anos"; "Nós compramos uma casa juntos"; "E sim, esse é o momento certo e é isso que eu quero".

Beijos, beijos









Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nos conte o que você achou do post, adoramos receber elogios, críticas construtivas e sugestões de temas.