#Assisti: Girlboss + resenha do livro

quarta-feira, maio 17, 2017

Pegar como exemplo Sophia Amoruso ou se espelhar em outras empresárias que estão aonde estão por causa de muito suor? Confesso que nem eu sei responder essa pergunta, porque acredito que todas nós temos um pouco da Sophia. Não estou dizendo que as atitudes de desrespeito, não zelar pela amizade e só pensar em si estão corretas. Mas há momentos que somos sim egoístas, que sacrificamos um pouco das amizades e que tacamos o fadasse no ambiente de trabalho. "A Gabi, então você adorou a série e está dizendo que as atitudes de Sophia são justificáveis?". Não, não adorei e também não estou justificando o comportamento dela, ainda mais porque a série tem muitas controversas em relação ao livro. 

Todos sabemos que os livros sempre serão (ou terão) coisas diferentes da adaptação para o cinema ou televisão e eu, uma pessoa que ama ler, sempre vou preferir a parte escrita.  Sei que no audiovisual é preciso fazer algumas adaptações, mas tem momentos que os diretores fogem ou retratam de uma forma diferente aquela obra. Caso do livro #Girlboss 




Pra quem já assistiu ou vai assistir a série, ela começa em 2015 ano em que trabalhou na loja de sapatos sofisticados e foi mandada embora. Deixando de mostrar todos os acontecimentos dos anos anteriores. Outro momento que você só identifica lendo o livro é o episódio que ela descobre que tem hérnia e começa a procurar um emprego com plano de saúde para realizar a operação, isso ocorreu em 2006.  




A série Girlboss não da lições de empreendedorismo ou estratégias de como manter e tornar um site online de roupas um sucesso. Ela conta que a Nasty Gal nasceu, como que a Sophia garimpava as roupas, como que ela divulgava no ebay e quais foram as dificuldades que ela passou. Porém tudo isso de um forma "escrota" (não achei outra palavra), se aproveitando na maioria das vezes dos outros, pensando só em si e tratando mal as pessoas que conviviam com ela. Mas (vocês já perceberam que esse post tem vários pontos neh?), a realidade do livro é diferente. Durante a leitura eu ia imaginando a Sophia de outra forma, um pouco mais humana.  


MAS AFINAL, DEVO OU NÃO ASSISTIR A SÉRIE? 


Minha resposta é sim, mas com um lembrei: não coloque muitas expectativas em cima dela. A série Girlboss mostra como que a moda era naquela época nos traz algumas referências de estilistas, composição e comportamento do consumidor final. A trilha sonora está bem bacana e a paleta de cores da série é bem diversificada. Algo que eu acrescentaria na edição de Girlboss, é o ano a qual ele se refere para que o telespectador tenha uma noção do tempo que a Sophia demorou para conquistar cada coisa.

Girlboss está disponível no Netflix e em um fim de semana você consegue assistir toda a temporada. E o livro eu comprei na Amazon

Me contem o que vocês acharam da série. 

Beijos, beijos


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nos conte o que você achou do post, adoramos receber elogios, críticas construtivas e sugestões de temas.