Cadê a motivação de antes?

sexta-feira, junho 30, 2017

Eu sempre gostei de blogar, de escrever, de pegar papel e caneta e colocar tudo aquilo que estava sentindo ou pensando. Com o Juras Eternas (blog pessoal criado quando eu tinha 12 anos) foi assim, todos os meus momentos, minhas descobertas, minhas alegrias e tristezas estão registrados nele. Mas ai veio o Lucidez Feminina, um projeto idealizado e criado em parceria com as minhas primas, que despertou um outro lado meu, o da moda. E ele me mostrou/apresentou um novo mundo da blogosfera (nem sei se ainda usa essa palavra) e que um blog pode crescer a tal ponto dele se tornar uma empresa, ser uma forma de currículo e de uma única fonte de renda.

Nessas últimas semanas tenho lido alguns textos sobre metas, se encontrar no mundo virtual, resgatar aquela essência pessoal e, principalmente, sobre o ânimo para desenvolver as coisas. Ler esses textos foi como um tapa na cara me dizendo: "Gabriella, acorda! Cade aqueles textos que você escrevia cheios de sentimento, opiniões e dizeres? Cade aquela vontade de contar sobre as coisas que você é apaixonada (livros, viagens, moda)?". E isso vem martelando minha cabeça, vem me forçando a tomar atitudes diferentes, a delimitar o que eu quero agora, o que eu quero para o próximo ano, quem eu quero atingir e qual marca eu quero deixar.

[Foto: Pinteres]
É normal sentir um pouco de desanimo com a vida? Claro que é. Nesse vídeo  eu contei um pouco sobre os momentos (internos) difíceis que passei e nesse texto eu também falei um pouco sobre isso.

Não sei se o fato de morar a tanto tempo em outro estado e com outras pessoas têm contribuído pra essa ansiedade, que às vezes é tanta que chega ao ponto de me paralisar e eu não consigo/não tenho vontade de fazer nada. Sim, é assustador. Mas também é nesses momentos que eu reflito melhor sobre a minha vida, o que eu quero e quais são as áreas que eu preciso me reinventar.


No último feriado prolongado eu me desliguei da tecnologia, do barulho da cidade e da TV a cabo e fui me reconectar com a natura, com o silêncio, com a calmaria. Eu e o Roberto fomos para casa dos pais dele no interior e, especificamente, aonde eles moram não pega sinal de celular e pra você ir pra cidade só se for de carro. Ficar dois dias conversando, jogando baralho e acordar com o som dos pássaros, fez com que eu aproveitasse 100% daquele momento, as pessoas que estavam comigo e que tivesse a certeza que os planos que tracei para o futuro vão dar certo e que é só deixar nas mãos de Deus.

O que eu quero dizer com esse texto de Itu (como diz a blogueira Alê Garattoni), é que quando você se sentir desanimado com as coisas da vida, deixa a rotina e as obrigações de lado e vai fazer algo que lhe dê prazer, que te estimule a pensar em coisas novas, que faça você rir e que faça você sentir prazer.

--
A partir desse texto o blog vai sofrer pequenas mudanças. Vou continuar falando de beleza, moda, viagens e livros, mas também vou trazer mais textos pessoas e carregados de sentimentos.

Beijos, beijos








Um comentário:

  1. É verdade, no início ficamos com todo o gás mas depois vem o cansasso é o desânimo
    Vem também o cansasso mental é quando o nosso cérebro está cheio de informações.
    Nesse momento temos sim que nos desconectar de tudo voltar e recomessar com muito gás é muita novidade
    Bjo: @keilyces

    ResponderExcluir

Nos conte o que você achou do post, adoramos receber elogios, críticas construtivas e sugestões de temas.